Sexta, 21 de Janeiro de 2022
°

-

Polícia VIOLÊNCIA

Execução ou assalto? Querida por todos, família e amigos tentam entender assassinato de agente de saúde em Ponta Porã

Vanda Araújo Santana recebeu 4 tiros; foi socorrida, mas faleceu no hospital

30/11/2021 às 07h57 Atualizada em 30/11/2021 às 08h10
Por: Redação Fonte: REDAÇÃO
Compartilhe:
Morte de Vanda Santana provoca muita comoção em Ponta Porã
Morte de Vanda Santana provoca muita comoção em Ponta Porã
Tida como alegre e comprometida com função de agente de saúde, comoção marca morte
Tida como alegre e comprometida com função de agente de saúde, comoção marca morte

Na fronteira, há execuções que se justificam ou explicam facilmente, sem muita necessidade de analisar e perceber as motivações.

 

Mas, outras, é necessário buscar entender e tentar encontrar uma justificativa para, ao menos, acalmar o coração diante da tristeza.

E assim é a morte da mãe e servidora pública municipal Vanda Araújo Santana, de 45 anos.

Reconhecida pelos amigos e amigas como uma mulher de fibra, uma agente de saúde comprometida com as famílias por ela visitadas, sua morte prematura não somente abalou a comunidade onde ela atuava e também morava, como provocou muita tristeza e espanto pela forma como tudo ocorreu.

 

Vanda foi baleada quando estava em uma oficina mecânica. O pistoleiro, conforme testemunhas, chegou e efetuou os disparos à queima-roupa.

Socorrida, a agente de saúde não resistiu e faleceu.

A comoção tomou conta dos familiares, amigos e colegas de trabalho, onde Vanda trabalhava há mais de cinco anos no posto de saúde que atende a região da grande Vila Áurea.

O crime ocorreu no final da tarde de segunda-feira, 29, mas até agora ninguém consegue encontrar um caminho para explicar ou justificar esse crime, como em qualquer outro brutal e covarde contra uma mãe de família e trabalhadora exemplar, como atestam todos os amigos de Vanda Araújo.

Os amigos e amigas a qualificam como uma pessoa alegre, sempre disposta a atender da melhor forma possível sua função de agente de saúde.

Sua morte de forma violenta e brutal além de enlutar a família, deixa triste toda a comunidade da Vila Áurea e bairros adjacentes, onde Vanda Araújo ao lado de seus colegas de trabalho, atendiam famílias diariamente.

MOTIVAÇÃO

As dúvidas sobre a motivação do crime da agente de saúde Vanda Araújo Santana são muitas.

Mãe de cinco filhos, divorciada, dona de casa.

Assalto? Execução?

A polícia não tem caminhos na linha investigativa que ainda está sendo levantada.

Familiares e amigos mais próximos devem ser ouvidos para que a investigação possa avançar.

A agente de saúde Vanda Santana, de 45 anos, morreu horas depois de ser alvo de uma atentado a tiros no final desta tarde (29), morreu no Hospital Regional "Dr. José de Simone Netto".

Vanda estava em um oficina na Rua Belém, na Vila Áurea, quando foi surpreendida por um homem de camiseta branca e calça jeans. Ele chegou ao local em uma moto Bis preta e entrou atirando na oficina. Ele fugiu na sequência e ainda não foi localizado.

À polícia o dono do estabelecimento contou que ouviu os disparos e quando olhou em direção à vítima encontrou Vanda caída.

Informação inicial era de que a vítima havia sido atingida por quatro disparos, mas o atirador acertou 4 tiros em Wanda.  Vanda foi socorrida pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e encaminhada para o Hospital Regional de Ponta Porã onde foi submetida a cirurgia. Contudo, acabou não resistindo aos ferimentos.

Policiais militares e agentes do SIG (Setor de Investigações Gerais) da Polícia Civil estão em busca do atirador.  

Vanda trabalhava há muitos anos na prefeitura de Ponta Porã, na secretaria municipal de Saúde como agente de saúde atendendo a região da grande Vila Áurea.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias