Domingo, 26 de Junho de 2022
°

-

Polícia PEDRO JUAN

ATENTADO A PREFEITO: pistola usada em crime foi “moeda” para pagar honorários de advogada

Investigações chegam à advogada que teria recebido pistola apreendida em 2017 como pagamento por serviços advocatícios

20/05/2022 às 07h25 Atualizada em 20/05/2022 às 10h42
Por: Redação Fonte: Redação
Compartilhe:
Investigação realiza buscas em residências; duas mulheres estão detidas até agora
Investigação realiza buscas em residências; duas mulheres estão detidas até agora

 

O cerco está fechando nas investigações acerca do atentado ao prefeito de Pedro Juan Caballero, José Carlos Acevedo, ocorrido na terça-feira, 17, no final da tarde.

Nas primeiras horas da manhã desta sexta-feira, 20, três dias após o atentado contra a vida do prefeito da cidade vizinha a Ponta Porã, a força-tarefa montada para investigar e elucidar o crime está no caminho para destrinchar o caminho que levou ao crime.

O fio da meada começou a ser desatado com a apreensão de dois aparelhos celulares na calçada da prefeitura, onde o crime ocorreu.

Os investigadores encontraram os aparelhos no chão e foram derrubados pelos dois pistoleiros que correram atrás do prefeito para matá-lo.

Com isso, a investigação chegou a várias mensagens, levando aos primeiros nomes.

Na quinta-feira, 19, por volta de 06horas da manhã, os investigadores realizaram operação em duas residências e logo encontraram uma pistola glock .17 usada em duplo assassinato em dezembro de 2017.

A partir daí, as investigações avançaram. No mesmo dia, a investigação realizou diligências em Assunção, em residência onde o crime teria sido planejado.

Duas mulheres estão presas. Mirta Raquel Lopes Benites e Sônia de Jesus Gonzalez.

Na residência de Mirta Raquel foi encontrada a arma usada no crime.

Mas aí está a grande questão envolta no crime. De acordo com as investigações até agora e conforme as informações divulgadas, essa arma foi usada para assassinar o esposo de Mirta Raquel, Fernando Javier Lescano, vulgo “gordo”.

Com ele, no dia 16 de dezembro de 2017 foi assassinado Oscar Maciel Franco, vulgo “Sapo”.

A pistola Glock .17 teria sido apreendida na ocasião, e estava em poder de “gordo”.

A partir daí, as diligências se debruça para saber qual caminho a pistola apreendida e entregue ao Ministério Público do Paraguai percorreu até ser utilizada no atentado ao prefeito José Carlos Acevedo.

“Gordo” era pistoleiro conhecido na região de fronteira e conforme a polícia paraguaia, foi assassinado em acerto de contas do submundo do crime.

Na quinta-feira, 19, informações levantadas pela polícia paraguaia através de serviço reservado apuraram que a pistola teria chegado às mãos de uma advogada em Pedro Juan Caballero como moeda para pagamento de serviço advocatício.

Na manhã desta sexta-feira, 20, os investigadores voltaram a realizar duas operações, ambas em residências ligadas a advogada.

A pistola teria sido entregue ao pai dessa advogada, Miriam Lopez, e a polícia agora trabalha para apurar como e em que momento a pistola deixou a sede do Ministério Público em Pedro Juan.

A investigação realiza novas diligências durante toda esta sexta-feira, 20.

Informações extraoficiais dão conta que a polícia já tem os nomes dos suspeitos do atentado ao prefeito José Carlos Acevedo, nomes estes entregues em forma de colaboração pelo próprio submundo do crime.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
- Atualizado às 20h00 - Fonte: ClimaTempo
°

Mín. ° Máx. °

Seg °C °C
Ter °C °C
Qua °C °C
Qui °C °C
Sex °C °C
Horóscopo
Áries
Touro
Gêmeos
Câncer
Leão
Virgem
Libra
Escorpião
Sagitário
Capricórnio
Aquário
Peixes
Ele1 - Criar site de notícias